A invenção da classe média, sua quase extinção e a tentativa de ressucitá-la

Ontem a OIT (Organização Internacional do Trabalho) divulgou um relatório no qual eles defendem que os baixos salários são prejudiciais à economia. Por mais que a lógica do “se eu não tenho um mercado consumidor eu não tenho o porquê de produzir” faça algum sentido, hoje a maioria dos empregadores trabalham com políticas de remuneração de forma semelhante aos aplicados na Inglaterra do século XVIII, onde o valor ganho era mínimo para sobrevivência.

A revolução industrial de 1750 proporcionou mudanças significativas nos métodos de trabalho e na composição da sociedade. Criou-se uma nova classe, na qual os camponeses migraram quase em massa para as cidades afim de suprir esta nova demanda por produtos padronizados, entretanto, os critérios de classe social, em linhas gerais, permaneceram os mesmos: os servos, os burgueses, os aristocratas e os nobres. Neste contexto, se você nasceu em determinada classe, você certamente morrerá nela.

A classe média só foi inventada por um estadunidense chamado Henry Ford, que introduziu uma política de salários revolucionária, embasado na ideia de que “cada operário da fábrica deve ter condições de comprar o que ele produz”. Deu certo, mas tão certo, que a Ford Motors foi líder de vendas até o final da década de 30. Mas isso não significa que o Henry Ford era um “bom samaritano”, nada disso! A ideia que ele defendeu nas primeiras décadas do século passado são as mesmas que a OIT usa hoje como argumento: “se eu não tenho mercado consumidor, quem comprará o meu produto?” E

sta lógica, apesar de ter sido copiada pelos demais empresários da época, parece que atualmente foi caindo no esquecimento e as justificativas são diversas, mas a que mais impera é a de que os custos de se manter uma empresa mais os tributos pagos ao governos são entraves à manutenção e eventual aumento dos salários.

Pode até ser verdade, mas não totalmente, pois não existem entraves que sejam superiores a um bom resultado de vendas e se houver, caro empresário, minha dica é que você reveja seu ramo de atuação.

Para saber mais:
OIT alerta para riscos de salários muito baixos – http://bit.ly/1theOFR

Créditos da imagem – http://bit.ly/1KkeSOk

2 thoughts on “A invenção da classe média, sua quase extinção e a tentativa de ressucitá-la

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.