Autonomia do Banco Central? O que é um banco central?

Há muitos anos que o tema “autonomia do Banco Central” tem estado presente nas discussões políticas e econômicas. Mas, antes de entrar nesse ponto, talvez você se questione: o que é um Banco Central?

Basicamente, um Banco Central é o “xerife” do sistema financeiro. A maioria dos países tem um, mas o Banco Central do Brasil foi fundado em 31 de dezembro de 1964 (o mais antigo do mundo – na Suécia – foi fundado em 1668).

Dentre as suas funções, estão: emitir moeda (em papel e metálica), realizar controle do crédito no país, fazer o controle das instituições financeiras, manter as reservas internacionais (quantidade de dólares, euros, etc.) em nível adequado, dentre outras atribuições.

A importância de um Bacen é indiscutível, pois o dinheiro tem um papel central em muitas atividades da nossa vida e, um Banco Central forte e presente, garante que tudo funcione direitinho. Agora que sabemos o que é um Banco Central, podemos questionar: é benéfico ou não que ele seja autônomo, ou seja, independente do setor público?

Esse tema é bastante discutível. Considerando que as instituições financeiras (bancos comerciais, bancos de investimentos, etc.) objetivam o lucro e o Bacen, por estar acima de tais instituições, iria zelar por estes objetivos, poderíamos ter distorções gravíssimas no sistema financeiro nacional e levar muitas empresas a falência, altos níveis de inadimplência, etc.

Contudo, sob a gestão do setor público, é possível assegurar, ao menos, os interesses da sociedade como um todo (representada pelo Estado/governo), mas ficamos passíveis de corrupção. Nos Estados Unidos, o BACEN se chama Fed (Federal Reserve, ou Reserva Federal) e é grande defensor da independência dos Bancos Centrais. Mas, veja que engraçado: eles mesmo não mantém o BACEN deles totalmente independente.

Só que há um porém: o FED sofre grande influência dos bancos privados e, eventualmente, isso gera problemas graves, como a crise financeira de 2008. Depois dessa pequena história, vale a reflexão: o que é melhor, um Banco Central independente ou não-independente?

Para saber mais:

http://www1.folha.uol.com.br/poder/poderepolitica/2014/05/1452242-bc-pode-ficar-como-esta-diz-febraban.shtml

http://www1.folha.uol.com.br/poder/poderepolitica/2014/08/1504058-entrevista-com-neca-setubal.shtml

http://www.bcb.gov.br/?LAICOMPETENCIAS

http://pt.wikipedia.org/wiki/Sveriges_Riksbank

http://pt.wikipedia.org/wiki/Federal_Reserve_System

Créditos da imagem:

http://veja0.abrilm.com.br/assets/images/2014/1/198895/economia-banco-central-20140115-002-size-598.JPG?1400658839

2 thoughts on “Autonomia do Banco Central? O que é um banco central?

  • Creio que o banco central deva sim permanecer como órgão público e não 100% autonomo… mas acho que deveria ter um conselho técnico e que siga a mesma linha da Governança Corporativa, a fim de trazer abertamente para a sociedade um pouco mais de verdade sobre as decisões de um órgão tão importante

    • Sandro, primeiramente, agradecemos a interação! De certa forma, o Banco Central já possui esta estrutura a qual você sugere. O organograma geral do sistema financeiro nacional inclui o comitê de política monetária (COPOM), o qual supervisiona todo o sistema, de modo geral e é compostos pelo Ministro da Fazenda, Ministro do Planejamento e Presidente do Banco Central. Caso queira visualizar mais informações, pode consultar o organograma clicando aqui (página 20). Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.