Presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn.

Esperar o Banco Central ou aproveitar o momento para reformas?

A pergunta que não quer calar: devemos esperar o Banco Central realizar o aperto monetário ou seria mais prudente aproveitar o momento para realizar reformas necessárias? Por André Galhardo Fernandes, economista-chefe da Análise Econômica A autoridade monetária brasileira, por meio do Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu em sua última reunião manter inalterada a taxa[…]

O giro de 360 graus do governo

Por André Galhardo Fernandes, economista-chefe de Análise Econômica Diante das manifestações dos caminhoneiros devido a alta dos combustíveis ao consumidor e à chegada da Selic à taxa estrutural, governo e Banco Central tomam decisões que se quer podem ser chamadas de paliativas. Pela ordem, vamos falar dos combustíveis. Após aumentar os preços dos combustíveis em[…]

Política monetária: fracasso no ambiente de recessão

Política monetária e a armadilha da liquidez posta a nu – parte II Por André Galhardo Fernandes, economista-chefe da Análise Econômica Nossa análise anterior abordou o problema da tentativa do governo em estimular a economia por meio da política monetária expansionista (1). Focamos nos dados divulgados pelo Banco central sobre a política monetária e creditícia. Desta vez[…]

Armadilha da liquidez posta a nu

Por André Galhardo Fernandes, economista-chefe da Análise Econômica A armadilha de liquidez expressa uma situação em que a taxa de juros nominal chega a zero ou próximo dele, e a política monetária perde tração. O processo vivido no Brasil, de redução das taxas de juros, aproxima-se bastante dessa situação. O Banco Central do Brasil, por meio do[…]

Selic – o moleque de recados do governo

Por André Galhardo Fernandes, economista-chefe da Análise Econômica. Após dois dias de reunião (6 e 7/fev), o Comité de Política Monetária (Copom) decidiu, por unanimidade, cortar a taxa básica de juros brasileira – a Selic – em 0,25%, de 7% para 6,75%, o patamar nominal mais baixo da história. Em nota divulgada logo após a deliberação,[…]

O papel da Selic na recessão

No dia 6 de dezembro o comitê de política monetária (Copom) optou por fazer um novo corte na taxa básica de juros (Selic). Desta vez, conforme “antecipado” na penúltima reunião, o corte foi menor: 0,5%. A redução colocou a taxa básica de juros em um patamar histórico de 7%, estabelecendo o menor nível praticado no[…]

O sistema financeiro trava a economia do país

Por Ladislau Dowbor* A conta é simples. O crédito no país representa cerca de 60% do PIB. Sobre este estoque incidem juros, apropriados por intermediários financeiros. Analisar esta massa de recursos, na sua origem e destino, é portanto fundamental. É bom lembrar que o banco é uma atividade “meio”, a sua produtividade depende de quanto[…]

Os riscos de uma concentração bancária

Esta semana o Valor Econômico divulgou uma notícia sobre o aumento do nível de concentração bancária. Este é um indicador do Bacen que leva em conta a participação dos bancos como agentes de empréstimo a pessoas físicas e empresas. Os dados mostram que a cada 100 reais que são tomados por empréstimos em nossa economia, mais[…]

E o termo de hoje é: Política monetária

A política monetária é um conjunto de ações e medidas adotadas pelo governo com o intuito de adequar a quantidade de meios de pagamento (moeda, crédito, ações, títulos, etc.) disponíveis na economia para atender a demanda dos agentes econômicos para realizar as suas operações do dia-a-dia. Estas medidas geralmente são executadas pelo Banco Central, órgão[…]

A meta é colocar a economia nos trilhos

Ontem, o Comitê de Política Monetária (COPOM) deu início a penúltima reunião do ano de 2014, na qual define as metas de política monetária do período. E, numa atitude que surpreendeu a todos, definiu e divulgou a taxa básica de juros, a SELIC, logo na primeira reunião. Geralmente o COPOM se reúne oito vezes por[…]

O Copom manteve a taxa básica de juros, mas o que isso significa?

”Avaliando a evolução do cenário macroeconômico e as perspectivas para a inflação, o Copom decidiu, por unanimidade, manter a taxa Selic em 11,00% a.a., sem viés.” Para muitos, isso parece grego, né? Mas este foi o comunicado do Comitê de Política Monetária, que envolve os diretores do Banco Central, após a reunião que decide os[…]

Autonomia do Banco Central? O que é um banco central?

Há muitos anos que o tema “autonomia do Banco Central” tem estado presente nas discussões políticas e econômicas. Mas, antes de entrar nesse ponto, talvez você se questione: o que é um Banco Central? Basicamente, um Banco Central é o “xerife” do sistema financeiro. A maioria dos países tem um, mas o Banco Central do[…]

Receba o AE1