A ciência da escassez

Escassez. Palavra forte e que às vezes assusta. Escassez lembra seca; seca lembra falta de água; e falta de água lembra a falta de vida! Meio dramático, né? Bem, na verdade, a escassez é uma realidade na vida que não se limita somente à falta d’água. Nós lidamos com ela todos os dias, a cada segundo.

Quando pensamos em escassez sobre uma ótica econômica, ela representa a ideia de limites. Claro, não dá para ignorar o significado mais direto de escassez, ou seja, ausência de algo, mas no geral, a escassez remete a noção de limites.

Pare para pensar um pouco: você aguenta comer oito pizzas seguidas? E beber 12 litros de refrigerante? Ou até mesmo água, você acha que consegue? E que tal dormir? Você acha que consegue dormir 72 horas seguidas? Ou quem sabe ficar acordado 72 horas seguidas? Acredito que a resposta seja não para todas estas perguntas.

Tudo isso também reflete a questão dos limites (ou escassez). Aí que entra a nossa tão amada Ciência Econômica! Vale a pena lembrar que a Ciência Econômica é uma ciência social, que estuda a alocação eficiente dos recursos escassos entre inúmeros fins alternativos. Em outras palavras, estuda como lidar com os problemas da escassez. Neste sentido, nesta semana e na próxima nós vamos explorar um pouco mais a questão da escassez em nossas pílulas.

Se vocês tiverem perguntas, críticas, sugestões, elogios, quiser bater um papo, etc., fale conosco!

Para saber mais:
Ciências Econômicas.

Crédito da imagem:
Seca em Sobradinho.