Alguns dados para entender o Brasil

Ontem foram divulgados os números da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com o próprio IBGE, com a PNAD “obtém informações anuais sobre características demográficas e socioeconômicas da população, como sexo, idade, educação, trabalho e rendimento, e características dos domicílios, e, com periodicidade variável, informações sobre migração, fecundidade, nupcialidade, entre outras, tendo como unidade de coleta os domicílios“.

Os números da PNAD 2013. Fonte: http://www.valor.com.br/sites/default/files/gn/14/09/arte19bra-101-pnad-a3.jpg

Ocorre que a maioria dos jornais trouxeram perspectivas negativas, com destaque a matéria da Folha que resgatou um termo criado na década de 1970, Belíndia, pelo economista brasileiro Edmar Bacha, que é uma junção dos nomes Bélgica e Índia.

A ideia deste termo, na época, era criar uma imagem mental de um país que cobra altos impostos (como a Bélgica), mas que possui a realidade social de um país pobre (como a Índia). Se considerarmos somente os dados acima, podemos entender perfeitamente que o país está seguindo uma trajetória de melhorias:

  • a renda está menos concentrada do que em épocas passadas (graças aos programas de transferência de rendas);
  • o desemprego está baixo;
  • a renda média do brasileiro aumentou;
  • diversos serviços públicos foram ampliados;
  • dentre tantos outros indicadores.

Isso tudo parece bom, não é? Em um primeiro momento, sim. Mas, se analisarmos mais atentamente veremos muitas contradições. Vamos usar como referência um dado que não está na PNAD, a Renda Nacional Bruta do Brasil. De acordo com o IBGE, em 2013, a Renda Nacional Bruta, ou seja, a renda de todos os brasileiros, foi de quatro trilhões setecentos e trinta e três bilhões de reais!

Você tem noção do quanto é um TRILHÃO de reais? (veja aqui) Imagine quatro trilhões!!

E, ainda assim, somente um quarto dos brasileiros tem abastecimento de água, menos de um quarto tem rede de coleta de esgoto a energia elétrica atende somente 64 milhões de brasileiros (e nós somos em 201 milhões!).

Obviamente que alguns fatores são interessantes, como as 92,7% das residências em que existe telefone celular. Ou as 99% das residências que têm geladeira. Ou ainda, as 42,5% das residências que têm carro.

Mas qual o custo para conquistar e manter esse bens? Segundo pesquisa da Confederação Nacional do Comércio (CNC) 62,5% das famílias brasileiras declararam estar endividadas em 2013, sendo que 21,2% declararam dívidas em atraso.

Bem, resumindo todo esse monte de informação acima: realmente a situação do Brasil mudou, tanto que somos a sexta maior economia do mundo; muita gente possui bens que não possuíam há dez anos atrás, mas há um custo alto, mostrando que ainda existem muitas divergências que devem ser resolvidas (muitas mesmo). E você, o que acha? Deixe seu comentário abaixo ou mande um e-mail para nós em contato@analiseeconomica.com.br.

Para saber mais
http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/pesquisas/pesquisa_resultados.php?id_pesquisa=40
http://saladeimprensa.ibge.gov.br/noticias?view=noticia&id=1&busca=1&idnoticia=2722
http://www.valor.com.br/brasil/3702560/pnad-serve-oposicao-e-ao-governo
http://www.valor.com.br/brasil/3702532/pesquisa-atrapalha-dilma-mas-tambem-traz-boas-noticias
http://www.valor.com.br/brasil/3702526/pnad-mostra-estagnacao-da-desigualdade-no-pais-desde-2011
http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mercado/186412-distribuicao-da-renda-sofre-efeitos-da-politica-economica.shtml
http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mercado/186348-pesquisa-mostra-que-brasil-de-fato-se-tornou-uma-belindia.shtml
http://pt.wikipedia.org/wiki/Bel%C3%ADndia
http://brasilemsintese.ibge.gov.br/en/contas-nacionais/renda-nacional-bruta
http://www.cnc.org.br/sites/default/files/arquivos/o_perfil_do_endividamento_das_familias_brasileiras_em_2013.pdf

Créditos da imagem
http://imguol.com/c/noticias/2014/09/17/arte-para-pnad-1410988906775_956x500.jpg

One thought on “Alguns dados para entender o Brasil”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.