O governo fora da jogada

Por André Galhardo Fernandes, economista-chefe da Análise Econômica Há algumas semanas destacamos aqui o problema que o Brasil tem encontrado para sair de vez da recessão. Esse problema, entre tantos outros que poderíamos ter abordado, diz respeito à dissonância entre o Banco Central e os setores bancário e varejista. Enquanto o Bacen tenta de tudo[…]

Reforma da Previdência – por que a pressa em votá-la?

De repente, inúmeros políticos da esfera federal de poder, mostram-se extremamente preocupados com o nível de investimento público no Brasil. Bom, talvez isso seja reflexo de termos atingido em 2017 o menor nível de investimento público em muitas décadas. Talvez isso também seja a reverberação daquela situação em que estão metidas as contas públicas brasileiras.[…]

Resultado primário estrutural – a leitura que precisamos fazer

O superávit estrutural por definição, é a estimativa de desempenho orçamentário compatível com o PIB potencial de longo prazo e com preços de ativos negociados nos valores tendenciais, excluindo-se os efeitos de receitas e despesas julgadas “não recorrentes” (i.e., de caráter contábil ou temporário). (SALTO, 2016 p. 257). Essa definição de superávit estrutural dada por[…]

Entre a fé e o fato: a atuação do governo na economia

Nas últimas semanas, os rumos políticos e econômicos que o país tem enveredado estão cada vez mais presente nas rodas de discussões. E tais discussões têm sido “uníssonas”: dos cem por cento corretos e dos opositores, por razões óbvias, cem por cento errados. Essa bipolaridade de ideias é um tanto quanto perniciosa, pois reduz-se a[…]

Olimpíadas 2016: uma discussão sobre eficiência

Pareceu-nos bastante oportuna a discussão sobre as obras da Vila Olímpica nesse momento tão delicado do país, politica e economicamente. O Brasil passa pela mais severa recessão de sua história e, por conta disto, discute-se fortemente a necessidade de um ajuste. Tal ajuste, em especial, dar-se-á nas contas públicas, tendo em vista que o Estado[…]

O mundo está ao contrário e ninguém reparou. Ninguém?

Vamos falar sobre prioridades. O que é mais importante? Para além das tarefas rotineiras, você consegue definir o que tem ou não tem que fazer? Mais ainda, qual a ordem a ser feita? Pense no seu trabalho. Você organiza seu dia ou vai respondendo às demandas, aos e-mails que caem na caixa de entrada? Em[…]

Lei Orçamentária Anual do município de São Paulo em 2016

A Lei orçamentária anual (LOA) prevista no artigo 5º da Lei complementar nº 101 de 2001, elaborada pelo poder executivo, foi entregue ao poder legislativo de São Paulo no dia 30 de setembro, conforme previsto no inciso II, parágrafo 6º do artigo 138 da Lei Orgânica do Município de São Paulo. A LOA deve ser[…]

Medidas podem reverter déficit em 2016

Os ministros Joaquim Levy (Fazenda) e Nelson Barbosa (Planejamento) anunciaram ontem um novo conjunto de medidas de ajuste para tentar reverter o déficit anunciado na proposta orçamentária para 2016, apresentado no final de agosto. O pacote,  no valor total de R$ 64,9 bilhões, prevê um superávit de R$ 34,4 bilhões (equivalente a 0,7% do PIB)[…]

Rombo nas contas públicas piora cenário para investimentos em 2016

Por Weruska Goeking (O Financista)* O Brasil retrocedeu 8 anos quando o assunto é investimento. A expectativa é que o patamar baixo seja mantido até o fim de 2016. Do lado do investimento privado, os níveis recordes de baixa confiança endossam a projeção. “A sinalização é sempre negativa em termos de criação de expectativa. É difícil[…]

Despesas por função governamental do município de São Paulo

Em análise da execução orçamentária do município de São Paulo, até o final de julho, o valor liquidado [1] do total de despesas alcançou 45% do total previsto pela Lei nº 16.099/2014, que trata do orçamento anual (LOA) de 2015. A função de maior vulto dentro dos valores liquidados, ‘educação’, teve a liquidação de 49%[…]

Análise das receitas e despesas do município de São Paulo

Por André Galhardo, economista-chefe da Análise Econômica Consultoria Receitas Até o mês de junho, decorrido 50% do calendário fiscal, o município de São Paulo arrecadou R$ 22,566 bilhões [1], o que representa aproximadamente 47,1% do total previsto para o ano, R$ 47,9 bilhões [2]. O maior montante destes recursos é proveniente das receitas correntes, cujo[…]

Análise da LDO 2016 do município de São Paulo

Por André Galhardo* e Franklin Lacerda**. A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) é um instrumento orçamentário que faz a conexão entre o Plano Plurianual (PPA) e a Lei Orçamentaria Anual (LOA). De acordo com a secretaria de finanças do município de São Paulo, “o projeto [de Lei de Diretrizes Orçamentárias] é enviado até o dia[…]