Trégua na Guerra Comercial – PS#127

Trégua na Guerra Comercial - Painel Semanal #127

Visão Geral

Apesar da Guerra Comercial, com expansão dos investimentos (apesar de ainda tímida), o PIB brasileiro acelerou no terceiro trimestre. O indicador registrou crescimento de 0,8% em relação ao segundo trimestre. Impactado por importações de plataforma de petróleo, os investimentos expandiram 6,6% no trimestre. Pela ótica da oferta, a surpresa se concentrou na agropecuária.

Entendemos que mesmo que esses vetores não se repitam no quarto trimestre, a tendência de recuperação deve ser mantida à frente. Importante levar em consideração o avanço dos índices de confiança em novembro.

Outros dados reforçam a tendência de melhora da economia. A carteira de crédito cresceu 3,5% em outubro com ligeiro recuo das taxas de inadimplência, o que seguirá contribuindo para a retomada do crescimento. A taxa de desemprego continuou em queda, passando de 12,2% para 11,7% em outubro.

Ainda assim, essa melhora do mercado de trabalho tem sido explicada em grande medida pelo aumento da ocupação em categorias de conta própria e informal. Fazendo um balanço desses resultados, mantemos nossa expectativa de crescimento do PIB em torno de 1% neste ano.

Receba o AE1 diretamente no seu celular. Clique aqui e saiba mais.

No exterior, a ata do FOMC e os comentários da autoridade monetária dos EUA elevaram a volatilidade dos mercados globais. Cresceram as apostas de maior gradualismo da política monetária dos EUA. A mudança veio após o presidente do Fed afirmar que a taxa de juros corrente está “um pouco abaixo” do nível neutro. Cabe lembrar que dois meses atrás ele indicou que essas duas taxas estavam “bem distantes”.

Ou seja, isso levou o mercado a acreditar que as elevações adicionais de juros nos EUA estão próximas do fim. Adicionalmente, a ata do FOMC sinalizou dúvidas quanto à necessidade de muitas elevações adicionais dos juros, considerando principalmente os possíveis efeitos de uma desaceleração da economia global.

Isso posto, esta semana será marcada pelos resultados do IPCA e da indústria nacional na agenda doméstica de indicadores. Olhando para o exterior, a reunião do G-20, dados finais dos índices PMI e indicadores do mercado de trabalho dos EUA estarão no foco, especialmente após a trégua na Guerra Comercial entre EUA e China.

Acompanhe o Painel Semanal #127 e saiba mais.

Receba toda segunda-feira o Painel Semanal diretamente no seu e-mail!