AE-I #3 – Os próximos BRICS

Mensagens-chave

  • Ao menos três dos cinco membros do BRICS apresentaram problemas políticos e econômicos que conduziram a um ritmo de crescimento muito mais baixo e perturbação nas trajetórias de alguns indicadores de desenvolvimento, como GINI e IDH, cuja melhora era notória;
  • Em 2000 os BRICs (sem a China) representavam cerca de 3,2% (US$1 trilhão) do PIB total mundial, em termos nominais. Os VINMPs já representam 4% (US$3,5 trilhões) do PIB total mundial, também em termos nominais. 
  • Em termos reais, no mesmo ano os BRICs (sem China) representavam 6,7% (US$3,4 trilhões) do PIB mundial. Já em 2019, em termos reais, os VINMPs atingiram sua maior participação da história no PIB global, 4,2% (US$3,6 trilhões);
  • Os países escolhidos neste estudo têm grande potencial em assumir posições de destaque na economia internacional nos próximos anos;
  • O tamanho da população dos VINMPS é de 803 milhões, ou seja, 10,5% da população mundial;
  • O Vietnã é o quinto colocado entre as onze economias que compõem o sudeste asiático no estoque de investimento direto no país. Em 2019, eram US$ 161 bilhões.
  • A participação vietnamita na corrente de comércio internacional foi de 1,4% em 2019, maior que a registrada pelo Brasil no mesmo ano, 1,2%;
  • Com crescimento médio expressivo, não faltam vantagens à Indonésia quando o assunto é demanda interna. Seu mercado consumidor pode atuar como instrumento anticíclico caso maiores volatilidades do produto global decorram das tensões comerciais que envolvem a China;
  • Ao contrário da maioria dos seus pares do sudeste asiático, a Indonésia guarda uma baixa relação dívida/PIB;
  • No cenário de maior crescimento populacional a Nigéria contará com uma população de cerca de 1 bilhão de habitantes em 2100. O que pode ser a saída para o país, que hoje é dependente das exportações de hidrocarbonetos;
  • Uma desaceleração da economia americana em decorrência das tensões comerciais com a China pode impactar diretamente a economia latino americana. Cerca de 77% do volume exportado pelo México tem como destino os Estados Unidos;
  • Além do potencial de crescimento decorrente da desaceleração da economia chinesa, as Filipinas dispõe de população relativamente grande. Esse fator pode criar um ambiente doméstico importante na composição da demanda agregada total. Em 2019 a população era de 108 milhões de habitantes;
  • A teoria dos gansos voadores propõe que países que lideram o crescimento de determinada região induzam o crescimento das economias “satélites”. Esse tem sido o papel da influência da produção industrial chinesa sobre economias vizinhas.

Leia o estudo completo AQUI.