AE-I #5 – Um país pode se desenvolver produzindo commodities?

Mensagens-chave

  • Produtos advindos da indústria de transformação passaram de 81% da pauta de exportações brasileira em 1997 para 57,9% em 2019;
  • Dentre esses 57,9%, contudo, estão presentes produtos com baixa complexidade, ou seja, produtos cujo processo de fabricação é relativamente simples, como açúcar, carne, couro e papel;
  • Enquanto o Brasil exportou cerca de US$ 11,1 bilhões de produtos de alta tecnologia  em 2019, a Índia exportou quase o dobro disso em 2018, cerca de US$ 20,3 bilhões;
  • A Alemanha, segunda colocada em exportação de produtos de alta tecnologia, exportou cerca de US$ 207 bilhões desses produtos, quase 18 vezes mais que o Brasil;
  • Dos 15 países selecionados no ranking de complexidade econômica para este estudo, apenas cinco têm economia maior que a brasileira, medida pelo PIB; 
  • Por outro lado, nenhum dos outros 14 países escolhidos tem Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) menor que o brasileiro, o que nos dá um indício importante da correlação entre complexidade e desenvolvimento;
  • O Brasil passou da 27ª para a 49ª posição no ranking de complexidade entre 2000 e 2018;
  • Nações como Austrália e Coreia do Sul tiveram apoio importante devido a interesses geopolíticos e, portanto, conseguiram trilhar a trajetória de desenvolvimento;
  • O caminho para o desenvolvimento brasileiro passa por depender menos do setor primário e diversificar mais suas atividades, além de torná-las mais sofisticadas tecnologicamente.

Leia o estudo completo AQUI.