COPOM: Taxa básica é mantida em 14,25% ao ano

Por Nestor Rabello (Agência CMA)*

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu manter a taxa básica de juros em 14,25% ao ano (aa), na sétima manutenção consecutiva. A decisão já era esperada pelo mercado, conforme apontou a pesquisa Termômetro CMA. Todas as 23 instituições consultadas pelo levantamento apostaram em manutenção da Selic em 14,25%.

A decisão foi unânime, tendo oito votos a favor da manutenção da taxa. Votaram pela elevação, o presidente Alexandre Antônio Tombini e os diretores Aldo Luiz Mendes, Altamir Lopes, Anthero de Moraes Meirelles, Luiz Edson Feltrim, Otávio Ribeiro Damaso, Sidnei Corrêa Marques e Tony Volpon.

A decisão reflete um quadro de resistência da inflação e estão de acordo com as últimas sinalizações do BC que ainda apontam um cenário desafiador para economia, principalmente do lado da política fiscal, que prevê um rombo nas contas públicas de até R$ 170,5 bilhões este ano.

“Os motivos se devem a um processo inflacionário persistente no curto prazo e também a perspectiva mais desafiadora da economia como um todo”, afirmou o economista da Gradual Investimentos, André Perfeito, alertando para o déficit primário “relevante” esperado pelo governo federal.

Segundo ele, o BC vem sinalizando que a taxa de juros não deve começar uma trajetória de queda tão cedo, ainda que possa vir a acontecer a partir de outubro. A maioria dos especialistas escutados pela Agência CMA aposta num corte da Selic a partir de julho, diante de um enfraquecimento da atividade econômica nos próximos meses.

Para o economista-chefe da Análise Econômica Consultoria, André Galhardo, a decisão de mexer na política de juros vai depender da disposição do BC em lidar com os sinais que quer enviar ao mercado. “Como o problema não é a demanda, baixar os juros pode mandar um recado de que a autonomia do BC pode estar em xeque”, afirmou. Caso opte por apertar ainda mais a política monetária, a instituição poderia ter de lidar com a responsabilização da “letargia” da economia brasileira.

*Obs.: matéria originalmente publicada em 08 de junho de 2016, pela agência CMA <http://www.agenciacma.com.br/>, especializada no mercado financeiro brasileiro e internacional e focada na produção de reportagens em tempo real sobre os temas que movimentam a economia nacional, os preços das ações, as cotações do câmbio e as taxas de juros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.