Tecnologia, Trade Marketing e Economia

Colaborou com este texto Sandro Santos*

Imagino que poucas pessoas questionem a importância da tecnologia em nossas vidas. Talvez, no passado, também se questionasse pouco, mas na atualidade ela é tão presente em nossas vidas que é difícil refutar sua importância. São tablets, smartphones, ultrabooks, e-books, smart tvs, internet, geladeiras inteligentes, etc. Mas muito antes de chegar até nós, a tecnologia é importante para as empresas.

Bem, atualmente trabalho em uma agência de trade marketing. Especificamente, em uma agência que cuida de um braço do trade marketing chamado merchandising. Para quem não sabe, o trade marketing é uma área que conecta Marketing e Vendas, promovendo o trabalho em conjunto das duas partes em torno do aumento das vendas efetivamente.

Mas porque eu tô falando disso?

É que ontem, 11/11/2015 (terça-feira), o Sandro e eu tivemos a oportunidade de ministrar uma palestra sobre um tema que temos estudado bastante no último ano: Trade Marketing e Tecnologia e os impactos sobre a economia. No fundo, o nosso objetivo era relacionar Trade Marketing (a área de formação do Sandro), Economia (minha área de formação) e Tecnologia (a área que, atualmente, nos conecta).

Estas três grandes áreas se conectam da seguinte forma:

  • a economia estuda os processos de produção, distribuição e comercialização de bens e serviços;
  • o trade marketing foca na conversão dos produtos distribuídos aos PDVs (pontos de vendas) em vendas efetivamente;
  • atecnologia contribui de diversas formas em todos estes processos: na produção, permite produzir produtos melhores, de forma mais rápida e a custos mais baixos; na distribuição, colabora a eficiência dos processos, seja no desenvolvimento dos meios de transporte, na infraestrutura logística, etc.; e, na comercialização, a contribuição é bastante variada, indo desde a interação entre consumidores, PDV e marca (experiência de compra), como na agilização dos processos de venda do próprio PDV.

E é neste ponto, na comercialização, que tecnologia, trade marketing e economia conectam-se, mas com um elemento central nesse jogo: a informação!!

Tecnologia e Informação

A informação é um elemento crucial para o pleno desenvolvimento das funções de trade marketing. Neste sentido, as tecnologias têm contribuído vastamente para o pleno desenvolvimento do trade. Num passado remoto, era comum que os promotores de vendas (profissionais responsáveis pelo posicionamento dos produtos no PDV, pela coleta das informações dos preços do produto, dos concorrentes, etc.) coletassem manualmente as informações de preço, market share, posicionamento, dentre outras, em formulários de papel, enviassem para a agência que, por sua vez, com os formulários em mãos, tabulavam os dados em planilha, elaboravam relatórios gerenciais e enviavam para os clientes. A partir dos relatórios, os clientes tomavam as devidas decisões e, em sinergia com as agências, aprimoravam os projetos, elaboravam ações promocionais, eventos, etc.

Controla-tus-Finanzas-2Com o avanço da tecnologia e a maior cobertura das redes de telefonia no país, a área de Trade Marketing beneficiou-se. Dados mais precisos e rápidos, fugindo do antigo formato a base de papel e horas de compilação em planilhas eletrônicas, tornaram-se a regra.

Com isto, tornou-se comum o surgimento de startups com a proposta de desenhar sistemas personalizados e adequados a necessidade de cada cliente. Além disso, a consolidação e força da área de Trade Marketing deu um papel estratégico para o setor, indo além da gestão de promotores e merchandising.

Tecnologia e Trade Marketing

Hoje esses sistemas permitem desde a inserção do roteiro  de um promotor, a abertura de chamados devido rupturas, e uma visualização geográfica do ponto exato donde partiram as informações.

Não obstante, os sistemas permitiram redução de custos e aprimoramento da sinergia entre cliente e agência. Trocando em miúdos:

  • hoje um promotor de venda coleta as informações no PDV a partir de um smartphone;
  • tais informações já estão disponíveis online para a equipe de coordenadores e para o próprio cliente, através de perfis específicos de acesso.

Ou seja, um processo que antigamente era longo e moroso, hoje é rápido e ágil. Isso possibilitou:

  • relatórios gerenciais sobre preço,
  • presença do produto,
  • presença do promotor no PDV,
  • ruptura,
  • frentes (planogramas),
  • market share,
  • e, além disso, com os mecanismos de BI (Business Inteligence), criar relatórios e cruzar informações a qualquer momento.

Neste sentido, esta nova dinâmica permite que sejam elaborados roteiros melhores, que a comunicação entre toda a equipe, bem como entre cliente e agência, seja mais eficiente, que a demanda seja mais bem estimada para aprimorar a oferta de produtos no PDV, bem como a melhor distribuição dos produtos dentre os PDVs e, finalmente, permite redução dos custos e maior competitividade.

Tecnologia, Trade Marketing e Economia

Economicamente falando, a contribuição da tecnologia e do trade marketing é enorme. Podemos

  • estimar melhora demanda,
  • apurar precisamente os preços dos preços,
  • avaliar quais produtos foram/estão sendo mais ofertados/vendidos,
  • apurar melhor os estoques,
  • e, com as informações de preços em mãos, inclusive calcular índices de inflação em tempo real.

Nos Estados Unidos, uma empresa chamada Premise tem feito isso com excelência. Seu fundador, Daniel Soloff, formado em economia pela Universidade da Califórnia, argumenta que

“toda esta informação está se escondendo à vista nas prateleiras das lojas, mas não há nenhuma maneira de capturá-la e agregá-la de maneira significativa”.

A Premise surge para cobrir essa lacuna.

“Essas informações poderiam fornecer uma maneira rápida para controlar e até mesmo prever medidas de inflação, como o Índice de Preços ao Consumidor. Números da inflação influenciam a indústria financeira e são usados para definir a política monetária e fiscal dos governos, mas eles geralmente são atualizados apenas uma vez por mês”, disse Soloff à MIT Technology Review.

Em outras palavras, a tecnologia tem um impacto tremendo seja no trade, seja na economia.

Para ver a apresentação que fizemos, clique aqui e baixe o arquivo.

Qualquer dúvida, crítica ou sugestão, mande um e-mail pra gente em contato@analiseeconomica.com.br

*Sandro Santos é graduado em Administração de Empresas pela Universidade Nove de Julho. Atua há 9 anos no mercado de terceirização  de mão de obra, ligado a área de Trade Marketing e Marketing Promocional.

3 thoughts on “Tecnologia, Trade Marketing e Economia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.